Facebook

Lean UX: saiba o que é e como essa metodologia pode ser utilizada

inovações tecnológicas ganham cada vez mais espaço, metodologias como a Lean UX têm sua importância consideravelmente ampliada. No entanto, como elas funcionam? De quais maneiras elas podem ajudar no crescimento de seu negócio?
Pensando nessa questão, desenvolvemos este artigo. Ao longo do texto, você descobrirá o que é Lean UX e quais os benefícios de utilizá-la. Continue a leitura até o fim para saber mais a respeito desse tema.

O que é Lean UX?

Antes de entender do que ela se trata, isoladamente, é oportuno mencionar o conceito de User Experience (UX). A UX lida, concreta e abstratamente, com todos os componentes relacionados à experiência final dos usuários e/ou consumidores.
Partindo desse pressuposto, podemos dizer que a Lean UX é uma maneira diferente de trabalhar os documentos e processos da área de UX. Uma de suas principais ideias é fazer com que o dia a dia dos profissionais responsáveis envolva uma quantidade menor de entregáveis.

Como funciona a Lean UX?

Como mencionamos no tópico anterior, a metodologia Lean UX permite que você fique livre do excesso de entregáveis. Ou seja, inicialmente, não é necessário detalhar o projeto em todos os seus pormenores.
Dessa forma, é possível encaminhá-lo rapidamente para os testes. Assim, é viável apresentar a proposta para o cliente, testar novamente e fazer as interações necessárias para que o processo seja finalizado de maneira ágil.
A partir dela, pode-se abandonar preciosismo associado a obtenção de um protótipo navegável ideal. Afinal, na maioria dos casos, é provável que seja apresentado algo muito mais conceitual do que versão final, o que pode não ser positivo aos olhos dos clientes.

Quais os objetivos da Lean UX?

De maneira bastante resumida, um de seus principais objetivos é possibilitar a elaboração de um protótipo – ele deve ser internamente validado e externamente testado o quanto antes.
As exigências para trabalhar o protótipo em questão – um site, um fluxograma, um frame ou meia hora sentado no computador – são combinadas diretamente entre o UX Designer e a sua equipe.
Vale lembrar que a prototipação dentro da Lean UX não é presa a um formato específico. Isto é, sua grande motivação é gerar uma rápida interação entre o cliente, o desenvolvimento e os testes.

Como a Lean UX pode ser utilizada na empresa?

De variadas formas. Para que haja uma real economia de tempo, é fundamental manter reduzida a quantidade de entregáveis. Também é importante que eles possam ser editados facilmente, a fim de não criar gargalos ao longo do projeto.
Se o CIO precisa entender um fluxo nessa metodologia, por exemplo, recomenda-se desenhá-lo rapidamente em um quadro branco. Assim, todos os envolvidos devem conversar sobre o fluxo e reforçar seus pontos principais. Sendo assim, os detalhes são dispensáveis.
Outra exemplificação está diretamente associada à programação. Nela, os desenvolvedores fazem um código para somente depois otimizá-lo. Nesse ponto, o projeto se encaminha para questões relativas à User Experience.
Considerando este exemplo como a User Interface de um app, pode-se focar em alguns aspectos como tamanho, cores, localização dos botões, menus e afins são ligados à usabilidade. No fim das contas, o que importa é que em determinado espaço haverá um botão ou um menu que tendem a facilitar a experiência do usuário.

Qual a diferença entre Lean UX e Agile UX?

Essa é uma questão que ainda causa confusão em muitos profissionais da área. Antes de tudo, é válido ressaltar que não se tratam de ideias conflitantes – são duas abordagens que podem coexistir em um mesmo projeto. É possível, inclusive, que a união entre ambas seja altamente benéfica para o projeto.
Na Lean UX, o ponto é chegar de forma colaborativa ao protótipo. Também é necessário verificar hipóteses com os usuários o quanto antes e utilizar métricas e insights para refinar as ideias.
Na Agile UX, há uma mistura entre os métodos ágeis e a UX. Nela, desenvolvedores e UX Designers trabalham lado a lado. Assim, as interações entre os membros dos times são mais importantes do que os processos e ferramentas. Além disso, a construção do software é mais relevante que a produção extensa de documentações, assim como as adaptações importam mais do que seguir o plano inicial à risca.

Quais os benefícios de utilizar a Lean UX?

Nem todos os projetos estão aptos a extrair os melhores benefícios atrelados à utilização da Lean UX. Tudo depende de prazos e das necessidades colocados pelos clientes/projeto.
De qualquer modo, algumas de suas principais vantagens estão na interação colaborativa desenvolvida durante a sua aplicação. A comunicação entre as lideranças e as equipes, por exemplo, tende a melhorar, o que pode ser extremamente útil para o cotidiano corporativo em geral.
Resumidamente, essa metodologia, principalmente quando combinada aos métodos ágeis, permite que o projeto encontre um número menor de barreiras e gargalos em seu desenvolvimento, de modo que ele fique rapidamente alinhado às expectativas dos clientes e usuários.

Como implementar a Lean UX no meu negócio?

A disponibilidade colaborativa se mostra como um importante requisito para que essa implementação obtenha o sucesso desejado. Como há uma significativa redução de tempo de execução, a validação com o cliente deve ser buscada constantemente, em cada etapa necessária para o cumprimento de um ciclo. Por isso, é indicado iniciar o processo com uma experiência, ainda que mínima, de navegação.
Contar com o apoio de uma consultoria de tecnologia também é algo decisivo nesse sentido. Esses profissionais podem aplicar várias métricas e estimar os ciclos necessários para a conclusão do projeto.
Uma prática que exemplifica isso muito bem são as pesquisas com mapas de calor que esses profissionais podem fazer. No desenvolvimento de um app ou site, elas ajudam a saber em quais botões o usuário clicou mais, em quais seções da tela ele passou mais tempo e assim por diante. Em um processo e UX tradicional, isso seria viável, mas em um intervalo maior de tempo e sem tanta assertividade.
Enfim, a Lean UX pode fazer muito pelo seu negócio. Afinal, ele possibilita testes rápidos com grupos distintos e, a partir disso, gera feedbacks diferentes, essenciais para o sucesso de um projeto.
Se você gostou do texto ou ficou com alguma dúvida e de uma consultoria transformação ágil entre em contato conosco – nós podemos ajudar!]]>

Você sabe o que é Kanban? Promova melhorias com esse método!

lideranças muitas vezes escolhem métodos específicos para conduzir os trabalhos e orientar a produção dos times. Levando isso em consideração, você sabe o que é Kanban? Como se trata de um tema que desperta a curiosidade de vários gestores preocupados com a eficiência de suas equipes, preparamos o conteúdo a seguir. Nos próximos tópicos, mostraremos as funcionalidades, aplicações, vantagens e limitações dessa rica abordagem. Boa leitura!

O que é Kanban?

Em poucas palavras, podemos dizer que Kanban é um método organizado, usado para registrar e gerenciar ações. O termo é originário da língua japonesa e compreendido como um conjunto de cartas que podem ser vistas e tocadas. crédito de sua invenção é concedido à montadora Toyota, que recorreu ao método em seu conhecido sistema de produção. Não por acaso, ele se associa a projetos que têm entregas específicas ou pontuais. No Brasil, a ferramenta começou a ser aplicada na indústria durante a década de 1980, como forma de promover a gestão de estoque e o controle do fluxo de peças. Isso porque ela viabilizava a sintonia entre o estoque e a produção.

Rastreamento de projetos

O painel de Kanban é útil por ajudar a rastrear o andamento de um processo, pois indica quais são as atividades e etapas que estão sendo desenvolvidas em determinado momento. Além disso, ele permite que as ações sejam estruturadas a fim de evitar pequenas tarefas — que geralmente se convertem em gargalos produtivos. Em contrapartida, a divisão é proveitosa para reduzir a quantidade de pessoal ocioso do projeto. Com uma simples analogia, podemos compará-lo às partidas de basquete: uma tarefa completa equivale a um ponto, sendo que a equipe precisa diminuir o tempo gasto entre cada arremesso.

Princípios básicos

Os três princípios básicos do Kanban são:
  • visualização da cadeia de valor: trata-se de enxergar as fases do produto em questão;
  • desenvolvimento evolucionário: mudanças simples e adaptações ágeis são feitas para entregar o que tem maior valor com antecedência;
  • restrição do trabalho e progresso em torno de estágios: o objetivo é mensurar, controlar e identificar as oportunidades de melhoria contínua.

Quando o método pode ser usado?

Agora que você já sabe o que é Kanban, chegou a hora de entender a necessidade que sua empresa tem ou não de utilizá-lo e se o método pode contribuir para estruturar um ambiente de trabalho mais produtivo e organizado. Caso você venha se esforçando para implementar métodos ágeis na organização, o Kanban tende a ser bem-vindo. Quem já usa a visão Agile também pode se beneficiar com os ganhos de desempenho, especialmente quando há a necessidade de adotar práticas flexíveis e não engessadas, que facilitem a adaptação e a interação entre as partes. O desenvolvimento de produtos ágeis em cenários pouco habituais para isso, como manutenções e operações, pode tirar grande proveito de um sistema visual tão versátil. Ele é necessário quando há níveis elevados de resistência às mudanças organizacionais, já que ajuda a fazer transições gradativas (do tipo cascata) para o Agile. Se as prioridades e demandas de uma empresa mudam diariamente, o Kanban pode agregar de inúmeras maneiras, colaborando para evitar o desperdício de recursos valiosos — tempo, materiais etc. Por mais óbvio que isso possa parecer, o método se aplica aos trabalhos que devem ter suas etapas individualmente visualizadas, de modo que seja viável analisar cada passo dado na cadeia de valor. Caso seja preciso limitar a quantidade de esforço em uma fase, também é possível utilizá-lo.

Quais são seus principais benefícios?

Uma das grandes vantagens trazidas pela metodologia é a considerável eliminação de gargalos. Isso porque o quadro de Kanban permite identificar quais tarefas travam o fluxo e, por consequência, as ações que podem ser tomadas para dar fluidez ao processo. Outro ponto positivo é a fácil implementação — uma boa consultoria é decisiva nesse sentido. Como se trata de algo visual, que deve ficar ao alcance de todos os envolvidos, o método também agrega transparência aos processos em andamento, deixando claro quais são os responsáveis e o que se espera deles. Por consequência, há um aumento na produtividade, pois são evitadas sobrecargas e estabelecidas as prioridades. Desse modo, o foco não é perdido e o tempo (ativo cada vez mais valioso nas empresas) não é gasto com demandas desnecessárias ou secundárias. Justamente por oferecer tantos insights e tornar algumas questões claras, o Kanban viabiliza uma série de melhorias e inovações em vários processos.

Como colocá-lo prática da melhor forma?

O primeiro e mais importante passo para colocar o Kanban em prática com excelência é a visualização prévia do fluxo de trabalho. Nesse momento, é fundamental analisar a necessidade de cada tarefa para o projeto como um todo. Defina o tempo de esforço e as ações necessárias para as etapas. Em seguida, deve-se delimitar o número de itens em cada seção e atribuir as atividades aos responsáveis. Como o objetivo é evitar os gargalos produtivos, se o responsável pelo desenvolvimento já cumpriu sua função e está livre, há como designá-lo para ajudar nos testes ou na prototipação, por exemplo, dependendo do que está na próxima posição do workflow. Além disso, a equipe precisa estar preparada para lidar com a transparência, pois a metodologia torna evidente quem está sendo produtivo ou não (o que é vantajoso, mas pode gerar resistência).

Quais erros evitar ao usar o Kanban?

A falta de disciplina dos times e dos responsáveis compromete toda a metodologia — e isso exige cuidados. Demandas instáveis ou emergenciais também pedem modificações em cima da hora, o que pode prejudicar o fluxo de entregas. Embora seja um sistema benéfico para a eficácia da gestão e simples de se aplicar, ele apresenta desafios. Por conta disso, a implementação tem muito a ganhar a partir do acompanhamento de uma consultoria especializada. Saber o que é Kanban e aplicá-lo corretamente em seu negócio tende a melhorar a produtividade e os processos. Assim, você tem um maior controle sobre as atividades e pode tomar as melhores decisões sobre o rumo do projeto. Gostou deste conteúdo e precisa de uma consultoria em transformação ágil? Então, entre em contato conosco!]]>

Conte mais sobre a sua empresa e vamos prosperar juntos!